Amora - o alimento rico em antioxidantes



Esta é uma fruta de origem asiática que se adaptou muito bem no Brasil. 

Assim como tantas outras. Ela rodou o mundo. Do interesse dos grandes fazedores de história não só de descobrir terras, mas também de intercambiar condimentos, ervas, frutas, plantas de modo geral; veja o exemplo da Amora: Nasceu na terra de Gandhi, foi para o continente europeu no século XVII, depois aportou no Brasil e talvez, quem sabe, pelas Américas. No Brasil, ela ficou restrita aos quintais domésticos, não houve interesse em cultivá-la em alta escala, em comercializá-la. Talvez por ser uma fruta sensível, de modo delicado em conservá-la.

Existem tipos diferentes, como também na coloração: a vermelha, a branca e a negra. Quanto às espécies, encontramos diversas: em Cocais cultivamos a vermelha, que cresce em qualquer lugar e nasce espontaneamente. Existe outra conhecida por aqui como “amora silvestre” ou “amora de barranco”.

A branca só é utilizado por passarinhos. Existe também uma versão parecido com trepadeira, da qual falaremos adiante. A mais doméstica é a vermelha; uma árvore espaçosa com seus galhos, se deixá-la livre atinge uma altura em torno de 10 metros de altura. Altura essa que dificulta a “panha”, mas vira um belo jardim para os passarinhos: é uma algazarra total, prazeroso de assistir. Os próprios pássaros se encarregam de disseminar sua proliferação.

É uma fruta-doce com pouca acidez, saborosa e medicinal: ela é rica em vitamina A e C. Age como adstringente natural, alivia a diarreia, cada 100 gramas contém 61 calorias. Muito usada popularmente como repositor hormonal, mas atenção, o ministério adverte para não deixar de manter contato com seu médico, acredito que deve ajudar: o chá de sua folha também é usado.

Rico, antioxidantes (antocianina), sais minerais (potássio, cálcio, magnésio, selênio e fósforo) em vitaminas A e B, e ácido elágico. Combate afecções da boca (aftas), infecções da garganta, angina, estados febris, reumatismo, gota e artrite.

Segundo a matéria da “Folha”, pesquisadores da Universidade de Scranton, na Pensilvânia, EUA, tomar 3 copos de suco de amora ao dia pode aumentar, de modo significativo, a taxa de colesterol bom no sangue, ampliando com isso os níveis de antioxidantes, além de reduzir o risco de doenças de modo geral, do coração.

Apesar de os cientistas terem as comprovações no laboratório, nenhuma pessoa foi relacionada, ainda. E as pesquisas não param por aí, o professor Joe Winsor, desta universidade, acredita que além dos benefícios para o coração, estudos anteriores comprova que a amora pode ajudar a prevenir infecção urinária, reduzir o risco de úlcera e câncer no estômago. Esse estudo, segundo a Folha de São Paulo, tem financiamento do Cranberry Institute.

Compartilhar Google Plus

Postagens Relacionadas

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
Tecnologia do Blogger.